sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A sugestão de véspera de Natal

«Quando o despertador tocou, a casa inteira parecia ainda adormecida. Lavínia sentou-se na cama e, de repente, lembrou-se que o Natal estava à porta.
«Meu Deus», exclamou, «tanta coisa para fazer e eu aqui deitada!»
Não tardaria a ver a Mãe chegar a pedir-lhe o pequeno-almoço, ou o Pai a resmungar porque queria ter ficado mais tempo na cama. «Adultos...», pensou, «é preciso ter muita paciência com eles...»
A Mãe andava agora com aquela mania de que o Pai Natal não existia! Lavínia sorrira, e cheia de boa vontade lá lhe explicara que isso era mentira, que ela não devia acreditar em tudo o que lhe diziam no emprego.
O emprego era para onde Lavínia levava a Mãe e o Pai todos os dias. Lá estavam outros adultos, e todos brincavam muito uns com os outros, até que chegava o momento de voltarem para casa. Depois era a hora de tomar banho, Lavínia contava-lhes uma história e eles adormeciam.
Mas nestes últimos tempos, com o Natal à porta, andavam muito excitados.
- O Pai Natal não existe. Eu sei - dizia a Mãe.
- O Pai Natal é mentira. Toda a gente sabe - dizia o Pai.
Então Lavínia, cheia de paciência, contava-lhes a história verdadeira do Pai Natal, e todo o trabalho que ele tinha na noite de 24 de Dezembro, para escorregar pelas chaminés abaixo e deixar, na cozinha de cada criança, aquilo que cada criança tinha pedido.
- E como é que ele cabe na chaminé? - perguntava a Mãe.
- Não se está mesmo a ver que é mentira? - dizia o Pai.
Lavínia sorria, sorria sempre. Eram tão engraçados, os adultos! O pior é que o tempo passava muito depressa. Não tardariam a ficar crianças, e então perdiam a graça toda. Era aproveitar agora. [...]»

2 histórias de Natal, de Alice Vieira e João Caetano (ilustrador), Caminho.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

COLÓQUIO INTERNACIONAL

É já no dia 29 de Janeiro que se vai realizar o colóquio internacional sobre Literatura Infantil e o Mundo Globalizado. Esta acção terá lugar em Braga, no Instituto de Educação da Universidade do Minho(Auditório do Centro Multimédia).

"Vivemos numa sociedade globalizada, onde a informação é partilhada entre todos a um ritmo alucinante. Se é verdade que, graças, à globalização o mundo se tornou mais consciente, mais solidário e, em determinadas situações, mais participativo (todos temos hoje consciência que fazemos parte da mesma família humana), este colóquio procurará averiguar até que ponto a Literatura Infantil inscreve e interroga, nos seus textos, as marcas da globalização, um sistema que inclui, no seu espectro semântico, múltiplas acepções nem sempre coincidentes entre si."

O que significa a globalização hoje? Quais os seus lugares e os seus gestos na literatura de potencial recepção leitora infantil?


Neste sentido, constituem temas possíveis para debate e partilha, entre outros, os seguintes:

- Produtos culturais de potencial recepção leitora infantil: cinema, arte, música e outros
- Best-sellers e literatura infantil: o consumo globalizado?
- Identidades, alteridade e suas representações na Literatura Infantil
- Centro e margens na Literatura Infantil
- Voz e Poder na Literatura Infantil
- Consumismo e solidariedade na Literatura Infantil
- Marketing e crianças
- Estudos de género na literatura de potencial recepção leitora infantil
- O lugar da literatura infantil face aos sistemas ideológicos e filosóficos
- Novas Tecnologias e sua articulação com a literatura infantil
- O imaginário globalizado: símbolos, metáforas e veredas hermenêuticas na literatura de potencial recepção leitora infantil

Organização:
CIFPEC - Centro de Investigação em Formação de Profissionais de Educação da Criança
CIEP - Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora

Apoios:
OBLIJ - Observatório de Literatura Infantil
Rede Temática de Literaturas Infantiles y Juveniles en el Marco Ibérico

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Pep Bruno

Pep Bruno Galán é um excelente contador, escritor e formador espanhol, cujo trabalho tivemos o privilégio de conhecer na XI edição das Palavras Andarilhas, em Beja.

Licenciado em Filologia Hispânica e em Teoria da Literatura e Literatura Comparada, diplomado em Trabalho Social, dedica-se desde 1994 à criação literária e à narração de contos. Participou já em inúmeros eventos e festivais de narração oral, bem como na organização da Maratona de Contos de Guadalajara. Em 2005, com Palabras del Candil, deu inicio à edição especializada de livros de narradores orais.

Da sua autoria, em Portugal, encontram-se editados pela OQO os seguintes títulos:


A Kalandraka é responsável pela publicação do título A Família C, recentemente galardoado com o Prémio Internacional Compostela do Álbum Ilustrado.

Para conhecer melhor o trabalho de Pep Bruno, aceda à sua página pessoal, aqui.
Aceda ao site da editora Kalandraka aqui e ao site da OQO aqui.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

IV Prémio Internacional Compostela

Encontra-se aberto o concurso para o IV Prémio Internacional Compostela para álbuns ilustrados. Os trabalhos apresentados deverão ser originais, inéditos e escritos em qualquer uma das línguas oficiais da Península Ibérica. 28 de Fevereiro é a data limite para a entrega de trabalhos. O vencedor será divulgado no dia 1 de Abril. O prémio terá um valor de 12 000 euros e será atribuído conjuntamente pela editora Kalandraka e pelo Departamento de Educação do Município de Santiago de Compostela.

Para consultar o regulamento ao pormenor, clique aqui.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Contos em Óbidos

Mais uma vez, a livraria Histórias com Bicho aquece ouvintes em tempo frio, com contos de Natal. Deixamos aqui a sugestão para fins de tarde bem passados, em família.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ela engoliu o quê?

Uma mosca!

Há já uns meses que aqui anunciámos o vencedor do prémio Opera Prima, da Feira do Livro Infantil de Bolonha, 2010.

O livro galardoado chama-se There Was an Old Lady Who Swallowed a Fly, do designer Jeremy Holmes. Esta obra de arte, que mistura uma engenhosa construção em papel, com um formato peculiar e uma ilustração cheia de estilo a roçar o macabro, chegou.

There Was an Old Lady Who Swallowed a Fly chegou recentemente a Portugal com a Dinalivro e recebeu o nome de Era Uma Vez Uma Velhinha. A edição nacional cumpre as expectativas e apresenta-nos com toda a propriedade a velhinha cujos devaneios ou percalços alimentares lhe reservam um desfecho gástrico menos feliz.

Fica o vídeo de Jeremy Holmes com animação de Paul Berkbigler para terem uma ideia.

video
Para mais informações sobre este trabalho, clique aqui.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Enciclopédia da Música com Bicho

O projecto desenvolvido pela Companhia de Música Teatral teve início em 1998 e visa a exploração da Música como ponto de partida para a interacção das várias técnicas e linguagens de comunicação artística, a partir da pedagogia musical preconizada por Edwin Gordon.

Esta Companhia tem vindo a desenvolver em Portugal um trabalho pioneiro de articulação entre investigação académica e produção artística, implicando o envolvimento da comunidade e a divulgação pública de ideias sobre a importância da experiência musical em idades precoces. O seu trabalho concretiza-se sob a forma de espectáculos, workshops, projectos educativos e edições.

É neste contexto que surgem os seis tomos da Enciclopédia da Música com Bicho - um trabalho de reconhecida qualidade musical e literária, que permite a interacção de crianças e familiares.

O primeiro tomo é dedicado ao Caracol, animal em torno do qual se desenrola uma história com inúmeras histórias musicais.

O tomo II conta e canta a história de uma borboleta que foi encontrada por um grupo de primos enquanto brincavam no quintal do avô.

Os tomos III, IV, V e VI são dedicados, respectivamente, à galinha pedrês, à formiga, ao pinguim e, para encerrar o ciclo, a uma patrulha de bicharada.

Infelizmente é difícil encontrar livrarias que disponibilizem estas publicações de tão grande qualidade…

Para conhecer o projecto desenvolvido pela Companhia de Música Teatral, clique aqui.
Para aceder à loja virtual da Companhia de Música Teatral, clique aqui.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O Capuchinho Vermelho de Louise Rowe

Nas nossas muitas incursões pelas livrarias, os olhos viajam e a imaginação passeia-se pelos títulos que povoam as prateleiras e os expositores. Vemos os novos e os novíssimos, os familiares e os canónicos: e eis que salta à vista uma novidade!

O Capuchinho Vermelho de Rowe conta-nos a história da menina que era adorada por todos, que teimava em usar uma capa com um capuz encarnado e que, um dia, desobedece à mãe… O resto terão de ler; são tantas e tão deliciosas as versões desta história, e a deste livro não foge à regra.

Um extra: chega-nos O Capuchinho Vermelho em pop-up. Cada página tem uma emocionante e industriosa construção ao mais alto nível, no que se refere à engenharia do papel, que é algo a explorar ao pormenor. Isto dá a histórias toda uma nova dimensão, tornando a leitura uma experiência ainda mais agradável e exuberante.

De par em par, abrimos as páginas deste livro e perdemos o fôlego com as paisagens tridimensionais, tudo numa atmosfera muito própria e dramática, criada a partir de delicadas texturas da natureza onde as cores das tardes frias de Outono predominam.
É de tal maneira sensitivo que quase conseguimos ver as folhas e os ramos das árvores a mexer ao sabor dum vento que nos bate na cara, bem como ouvir o rosnar do lobo mau, faminto.

Esta presença, nas livrarias portuguesas, é da responsabilidade da Editorial Presença. Louise Rowe viu este seu primeiro trabalho publicado pela Tango Books em 2009. Em 2010, há dois meses apareceu, também pela mesma chancela, Hansel and Gretel: fantástico.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Fiadeiras de Histórias

Era uma vez uma fiadeira que fiava histórias de manhã à noite. A fiadeira não parava de fazer histórias, de todos os tamanhos e formas, mas nunca lhes dava utilidade. Um dia descobriu que as histórias que havia fiado faziam…

Em Dezembro as Bibliotecas Municipais de Lisboa abrem as portas à fantasia, à imaginação. Convidamos pais, filhos, avôs, tios e primos a deixarem-se levar pela magia das nossas histórias e a viajarem até mundos inventados, com cores de sonhos e luzes de uma tenda de circo.

Convidamos Sílvia Romero e Liliana Campos, do Quarto da Lua, e o clown José Sebastião, para conduzir esta viagem por imagens, sensações e emoções, que nascem da força das palavras contadas e da experiência mágica do circo.

Com partida marcada para dias 4 e 18 de Dezembro, nas BM Orlando Ribeiro, Palácio Galveias e Penha de França.

Fiadeiras de histórias
Sessão de contos, conduzida por Sílvia Romero e Liliana Campos (Quarto da Lua): 4 Dezembro às 15h00 na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro e às 16h30 na Biblioteca Municipal Palácio Galveias.